3 de nov de 2011

Ainda Te Espero


A noite chega de repente
Nebulosa e sombria.
Pelo vidro da janela
Vejo que se passou mais um dia.

Abraçado ao travesseiro
No quarto inerte e frio,
apago a luz que ainda me resta
E adormeço, num sono vazio.

Amanhece...
O sol traz a aurora.
É mais um dia sem você
E a saudade me devora...

O vento sopra calmamente
A ele digo o que quero...
Que ele chegue até você
E diga que ainda lhe espero.

0 comentários: