3 de abr de 2012

Ver-te é um sopro de ar que me inspira, me alimenta, me excita, me tranqüiliza, me perturba, me mata... tenha pena de mim...
Só lamento não ter te conhecido desde o primeiro dia em que começaste a ser mulher.
Beijar-te é como perder a noção do tempo e do espaço, é ver o céu, as estrelas... é ver a ti.
Querendo ser frio, me derreto apenas de roçar tua pele.
Não trocaria um minuto de ontem contigo por cem anos de vida sem ti.
Tuas mãos me compreendem, me falam, me tocam, me levam, me fazem terna... não deixes de abraçar-me cada segundo.
Queria que me beijasses até deixar-me sem fôlego. Perder o conhecimento, tocar o céu contigo...
Se Deus fizesse Eva outra vez, e ela fosse como tu, se esqueceria de fazer os homens.

0 comentários: