5 de jan de 2011

A Sós Com o Coração


Um momento... Foi num momento de simplicidade que olhei para mim e vi... Sozinha na vida! Sozinha na dor! Sozinha no mundo! Quantas vezes pensei ser sufocada pela minha própria sombra? Quantas vezes senti ser despedaçada pelo meu próprio pensamento? O céu cai... Cai por entre nuvens de tempestades vazias de razão mas cheias de raiva. Tenho tanto medo!!! Vejo os minutos a passar como horas que se arrastam pelo tempo perdido que tem sido a minha vida. Vejo o dia passar à noite e a noite a ser interminável... O escuro que me envolve, o escuro que me aperta, a sombra que me assombra... Fui sempre assim? Se tiver que responder direi: "Não!" Por vezes recordo os sonhos que se tornam em realidade mas é num ápice que percebo o pesadelo que esses mesmos sonhos se tornaram. É esta a minha vida? Se tiver que responder direi: "Não fui eu que a escolhi!" Mas faço o melhor que posso... Quando as memórias da tua presença não me envolvem. Um segundo... Foi num segundo... Olhei à minha volta e percebi, Não tenho um abrigo que me proteja, umas asas que me façam sentir segura... Sonhos para sonhar, mundos para idealizar... É assim a solidão? Se tiver que responder direi: "Não sei!" Mas sei que dói, sei que me despedaça em mil pedaços impossíveis de colar. O céu caiu... Vi-o largar o horizonte e aterrar como pássaro perdido... Aos meus pés. Tenho medo!!! Ouço passos nos corredores do pensamento mas se chamo por ti não ouço a tua voz... Vejo uma sombra a caminho do meu coração mas se chamo por ti não ouves a minha voz... É assim que vou ficar? Assim irei acabar? Se tiver que responder direi: "Talvez!" As portas vão-se fechando e eu perco as forças que me permitiriam abri-las. Mas bastou um momento, um segundo de reflexão... Fechei os olhos e percebi... Ordenei-me a olhar para mim, mandei-me olhar para minha vida, E vi... Não sou "eu"... Eu sou "nós". "Nós"!!! Eu e tu, criança inocente... Sorri. Um sorriso que me trouxe lágrimas... Um sorriso que me trouxe gratidão! Estou sozinha? Se tiver que responder direi: "Não!" Nem por um único momento, nem em pensamentos. Sou forte, tenho de o ser, e hei-de estar na linha da frente em todas e cada uma das batalhas que terei de travar! Porque eu não sou "eu". Sou "nós".

0 comentários: