13 de dez de 2010

Esse Seu Silêncio


O silêncio repleto de dor,
não liberta, aprisiona
o choro dolorido não alivia
é fantasia inconsistente.

Achei que seria mais forte dessa vez
mas me desencontrei,
a razão de um lado brilhando feliz
e a paixão clamando transparência.

O silêncio que essa ausência me faz ouvir
do corpo, do jogo, da vida,
traz o amargo desejo de sorrir
sem sentir na alma.

Pensei que seria fácil,
rascunhos, versos e sexos
teu corpo perfeita geometria em minhas mãos,
encobrindo a realidade
desnudando pouco a pouco nossas diferenças.

O silêncio que grita nesse quarto
que me atinge como uma onda
que desampara sorrindo
e foge chorando
não vê o cego que fui.

(Marcello Lopes)